Vendido gibi raro Tio Patinha nº 09

Gibi raro do Tio Patinha vendido hoje (08/06/2014 ) no site Mercado Livre em leilão.

Gibi distribuído em banca na época e imediatamente depois recolhido por imposição da Disney devido proibição de sair imagens de crianças em capas de suas edições, poucas unidades que foram vendidas na época e sobreviveram ao tempo, esta é uma delas, a mais rara delas até da nº 1.

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Arte de Hergé é leioada por MILHÕES!

Georges Prosper Remi, mais conhecido como Hergé, é um dos artistas mais populares da história dos quadrinhos. Ele é o responsável pela criação das clássicas aventuras de Tintim, famosas ao redor de todo o mundo!

Há pouco tempo anunciaram um leilão com uma das artes do ilustrador, com desenhos já conhecidos e um em especificio nunca visto! Pois é, a obra foi vendida por MILHÕES!

O leilão foi realizado na Artcurial, em Paris, com quatro pessoas na disputa… De acordo com informações, todo o processo durou cerca de 15 minutos e no fim um colecionador americano conseguiu o melhor lance!

A arte foi vendida por € 2.654.000 (cerca de R$ 8.120.000,00, na cotação atual), o preço é um recorde mundial em questão de páginas de quadrinhos. Hergé desenhou a obra em 1937 em uma página dupla, com 37 ilustrações, sendo que uma destas nunca foi inserida nas aventuras de Tintim.

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , | Deixar um comentário

Batman completa 75 anos agora em Maio/2014 ( relembre filmes do super-herói DE SÃO PAULO

Não ter superpoderes nunca foi um problema para o Batman. Desde a sua primeira aparição, em 18 de maio de 1939, na revista em quadrinhos “Detective Comics”, Batman atrai leitores com sua personalidade sombria e misteriosa. Neste domingo (18), o cavaleiro das trevas faz aniversário, completa 75 anos.

O personagem foi criado por Bob Kane (1915-1998) e recebeu a contribuição de Bill Finger (1914-74) para estrear na revista.

No final da década de 1940, nos Estados Unidos, as histórias em quadrinhos estavam “estourando”, como diz Waldomiro Vergeiro, professor da USP e coordenador do Observatório de Histórias em Quadrinhos da ECA (Escola de Comunicações e Artes). E o Batman contribui para a popularização desse tipo de publicação, segundo ele.

“Com o aparecimento do Super-Homem, em 1938, explodem as revistas em quadrinhos nos Estados Unidos. O Batman foi o segundo herói da DC”, conta. “As revistas em quadrinhos foram os primeiros produtos destinados exclusivamente para a criança e o adolescente”, completa.

Batman faz sua primeira aparição no Brasil em 1940, na revista “O Lobinho”.

Em 1943 foi para o cinema e, em 1966, virou série de TV.

Nas telonas, diferentes atores já vestiram a fantasia do herói das trevas, entre eles George Clooney, Christian Bale e Ben Affleck, que atua no filme “Batman Vs. Superman”, com lançamento previsto para maio de 2016 nos Estados Unidos.

Relembre na galeria abaixo filmes protagonizados pelo Batman : Batman 75 anos

Robin foi criado, com o objetivo de tornar os quadrinhos mais leves e agradar as crianças. Em 1970, uma reformulação resgatou sua personalidade original.

Avesso às armas de fogo, Batman sempre salva sua cidade natal, Gotham City, com sua força física, sua inteligência, seus dotes de detetive e com a ajuda de artefatos tecnológicos (que ele consegue, muitas vezes, graças a sua riqueza).

Na história, Bruce Wayne, de família milionária, viu os seus pais serem assassinados quando ainda era criança. A partir do trágico episódio, ele adota uma missão: fazer justiça. Mas, quando sai às ruas para combater o crime, veste capa e máscara, e assume a identidade secreta de Homem-Morcego.

Diferentemente de outros heróis, Batman não veio de outro planeta ou foi picado por uma aranha geneticamente modificada. E talvez, justamente por isso, tenha criado uma legião tão grande de fãs.

“O Batman é um super-herói possível. Um personagem mais fácil de o leitor se identificar. Ele tem uma missão na vida, mas é uma pessoa comum, sem poderes”, afirma Waldomiro.

Durante sua “carreira”, no entanto, Batman já passou por algumas modificações para agradar o público. Quando surgiu, como o herói da noite, Batman era desconfiado e sombrio.

Um ano depois o personagem Robin foi criado, com o objetivo de tornar os quadrinhos mais leves e agradar as crianças. Em 1970, uma reformulação resgatou sua personalidade original.

Avesso às armas de fogo, Batman sempre salva sua cidade natal, Gotham City, com sua força física, sua inteligência, seus dotes de detetive e com a ajuda de artefatos tecnológicos (que ele consegue, muitas vezes, graças a sua riqueza).

Além da falta de superpoderes, Batman tem algumas características que, segundo Waldomiro, o diferem dos outros heróis: sua personalidade, seu senso de justiça e a sua galeria de vilões, da qual fazem parte personagens como Coringa e Charada.

“As reações dele são imprevisíveis, ele dão dá explicações”, diz. “O Batman tem um senso de justiça próprio, defende aquilo que acredita ser justo”. Os vilões que se cuidem.

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , , , , , , | Deixar um comentário

Original do Tintim é vendido por valor recorde para quadrinhos

Um original do Tintim desenhado por Hergé em 1937 marcou um novo recorde mundial para uma história em quadrinhos, ao ser vendido por 2,5 milhões de euros (cerca de R$ 7,5 milhões), em um leilão em Paris.

Dedicado ao desenhista belga, o leilão foi realizado pela casa Artcurial.

Esse lote número 1, avaliado inicialmente entre 700 mil e 900 mil euros, é uma página dupla feita com nanquim destinada à folha de rosto para os álbuns de Tintim publicados entre 1937 e 1958.

O recorde anterior também era de um outro Hergé, a famosa capa de “Tintin en Amérique”, de 1932, e vendida por 1,3 milhão de euros (cerca de R$ 3,9 milhões) em junho de 2012, pela mesma casa de leilões.

Nas folhas leiloadas neste sábado, o desenhista belga representou Tintim e seu cão Milu em 34 situações diferentes ligadas a um momento importante de alguns dos álbuns –do “Lotus bleu” (lótus azul) ao “L’Oreille cassée” (a orelha quebrada).

O famoso repórter aparece vestido de vaqueiro, de explorador, com uma armadura de cavaleiro, montado a cavalo, no deserto, ou de avião, entre outras situações.

O leilão deste sábado também contou com outros desenhos excepcionais, como a capa em nanquim de “L’île noire” (a ilha negra), de 1942, avaliada entre 600 mil e 800 mil euros, assim como sua coloração em guache, estimada entre 70 mil e 90 mil euros, acrescentou Artcurial.

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , , , , | Deixar um comentário

Alan Moore – O mago do quadrinhos !

Alan Moore nasceu em 18 de novembro de 1953 em Northampton, Inglaterra, uma cidade industrial situada entre Londres e Birmingham.

Filho mais velho do funcionário de uma cervejaria, Ernest Moore, e da tipógrafa Sylvia Doreen, Moore teve uma infância e uma adolescência bastante influenciadas pela pobreza da sua família e do seu ambiente.

Ele foi expulso de uma escola secundária conservadora e não foi aceito em qualquer outra escola. Assim, em 1971, Moore estava desempregado e sem possuir qualquer qualificação profissional.

Moore começou a trabalhar com a Embryo, uma revista que tinha publicado com amigos. Isso fez com que se envolvesse com o Laboratório de Artes de Northampton. Depois, casou-se com Phyllis em 1974, tendo eventualmente duas filhas, Amber e Leah.

Em 1979, Moore começou a trabalhar como cartunista para a revista semanal de música Sounds, onde escrevia e desenhava uma história de detetive chamada “Roscoe Moscou”, sob o pseudônimo de Curt Vile.

Eventualmente, Moore concluiu que era um ilustrador fraco e decidiu focalizar seus esforços apenas em escrever. As suas primeiras contribuições foram para a Doctor Who Weekly e o famoso título de ficção ciêntífica 2000 AD, na qual criou várias séries populares, como A Balada de Halo JonesSKIZZD.R. & Quinch.

Em seguida, Alan Moore trabalhou para a Warrior, uma revista britânica de antologias. Foi nesse título que começou duas importantes séries: Marvelman (rebatizado nos Estados Unidos como Miracleman) e V de Vingança, o subversivo conto sobre a luta por liberdade e dignidade numa Inglaterra fascista. Ambas lhe conferiram o British Eagle Awards, como Melhor Escritor de Quadrinhos em 1982 e 1983.

Os talentos de Moore lhe garantiram a sua primeira série americana, a saga do Monstro do Pântano. Nela, o conceituado escritor reinventou o personagem, enquanto seu enredo girava em torno de temas pesados (controle de armas, racismo, lixo nuclear, etc).

Exibindo grande profundidade e perspicácia em seu trabalho, ele demonstrou que podia escrever sobre um amplo leque de tópicos e situações. As histórias dele fixaram o passo para o chamado “Suspense Sofisticado”, através do qual a maioria das HQs da linhaVertigo da DC opera atualmente.Além de Monstro do Pântano, escreveu também vários outros títulos da DC, um anual do Batman e algumas histórias do Superman.

Em 1986, enquanto a DC Comics estava reconstruindo seu universo de quadrinhos, Moore escreveu Watchmen, que, ao lado de Batman: O Cavaleiro das Trevas, deFrank Miller, redefiniu o meio dos quadrinhos, e mudou o tom dos quadrinhos da época. Watchmen, com seus enredos detalhados, mostrava um retrato realista dos super-heróis num mundo que nem os entendia, nem confiava neles, e é até hoje considerada por muitos a maior HQ de super-heróis de todos os tempos.

Ele terminou suas histórias para o Monstro do Pântano, completou V de Vingança para a DC Comics e escreveu uma das melhores histórias do Coringa em Batman: A Piada Mortal (com arte de Brian Bolland). No final do anos 80, Alan Moore estava muito descontente com o fato de não possuir os direitos de Watchmen, assim como achava que não estava recebendo os royalties adequados pela série.

Além disso, nessa época surgiram discussões sobre a implementação de um sistema de classificação nas revistas em quadrinhos e Moore era totalmente contra essa idéia. Assim, ele resolveu deixar os quadrinhos mais comerciais e populares para trabalhar estritamente para editoras menores e independentes.

Sem mais nenhum vínculo com a DC, Moore começou vários projetos. Em 1988, montou a sua própria editora, chamada Mad Love Publishing. Moore começou a trabalhar num roteiro de cinema com o empresário da banda punk Sex Pistols, Malcolm McLaren, chamado “Fashion Beast” (embora o filme nunca tenha saído do papel).

Ele também começou a série Big Numbers, com artista Bill Sienkiewicz; mais duas séries para a Taboo, de Stephen Bissette: uma chamada Lost Girls, com a artista Melinda Gebbie, e a série Do Inferno, com Eddie Campbell. Moore também fez uma história pessoal intitulada A Small Killing, com o artista Oscar Zarate. A publicação independente, entretanto, não foi uma coisa muito boa para Moore. Dos trabalhos que começou nesse período, apenas A Small Killing e Do Inferno foram concluídos.

Posteriormente, Moore foi trabalhar na Image Comics, uma nova companhia de quadrinhos dirigida por um grupo muito popular de jovens artistas e escritores. Nessa editora, Moore escreveu 1963, uma espécie de reparação pelas péssimas histórias de outros escritores que brotaram na mídia dos quadrinhos como conseqüência de Watchmen. Ele também escreveu várias histórias para o personagem Spawn, criado por Todd McFarlane.

Nesse período, seu trabalho mais precioso talvez tenha sido a renovação da sérieSupremo, uma criação de Rob Liefeld calcada no Superman. A abordagem de Moore para o personagem foi tão nostálgica, quanto criativa, voltando no tempo até os primórdios da DC Comics. Infelizmente, a série foi suspensa por causa de problemas financeiros e os dois últimos números jamais foram publicados.

Então, Moore criou seu próprio selo: America’s Best Comics (ABC) para a WildStorm, o estúdio de Jim Lee, da Image Comics. E, mais uma vez, o talentoso escritor pavimentou todo um território diferente com várias novas séries: A Liga ExtraordináriaPrometheaTom StrongTom Strong’s Terrific TalesTomorrow StoriesTop Ten.

Ironicamente, a WildStorm acabou sendo vendida para a DC Comics e Jim Lee teve que acertar alguns detalhes contratuais com Moore para que não existisse nenhuma ligação entre ele e sua antiga editora.

Recentemente, o polêmico roteirista se desligou da DC/Wildstorm por causa das interferências da editora no seu trabalho. A DC detém todos os direitos dos personagens da ABC, exceto ‘A Liga Extraordinária’, que é propriedade de Moore e Kevin O’Neill. O terceiro volume da série deverá ser publicado pela Top Shelf Publishing.

Outros projetos de Moore incluem CDs e livros… além do seu desejo de se tornar um mago. Alan Moore mora em Northampton, Inglaterra.


Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , , , , | Deixar um comentário

Jornal vaticano analisa a crença dos super-heróis: Hulk é católico?

Wolverine e Homem Aranha, entre outros, também foram avaliados.
Referências cristãs em novo filme do Superman mereceram destaque.

Hulk em cena de ‘Os vingadores’

O jornal vaticano “L’Osservatore Romano” questionou na quinta-feira (4) a religiosidade dos super-heróis e, diante de um longo artigo, intitulado “O Hulk é católico de verdade?”, repassou as crenças religiosas de muitos personagens das histórias em quadrinhos, entre eles Super-Homem, Wolverine e Ciclope.

“Basta aparecer com um rosário entre as mãos para uma pessoa ser definida como católica?”, indagou o jornal da Santa Sé, que, ao recorrer a um portal americano como fonte, ressaltou que Bruce Banner, o incrível Hulk, foi casado na Igreja.

“Ele está com a amada Betty Rossi, enquanto a cerimônia foi oficiada por um sacerdote católico”, informou o jornal, que acrescentou que “outros sinais” também “revelariam inequivocamente sua fé”, como aparecer com um rosário entre as mãos.

Segundo o jornal vaticano, o caso de Hulk não é isolado, já que, embora não seja uma maioria, os personagens com poderes excepcionais declaram explicitamente sua fé e que o número de livros de história em quadrinhos, cujos personagens se declaram cristãos, cresceu rapidamente nos últimos anos.

Desta forma, o jornal assinala que o Super-homem também confirma sua fé cristã e metodista em seus filmes – ou melhor, a do jornalista Clark Kent. De acordo com o “L’Osservatore Romano”, a imprensa americana chega inclusive a falar da “dimensão cristológica do personagem”.

Após ouvir o diretor do filme “O homem de aço”, Zack Snyder, o jornal vaticano assinalou que em muitos diálogos essa referência à religião cristã é direta.

“Quando Jor-O, o pai krytoniano de Superman, lhe põe na nave espacial para enviá-lo à Terra, a mãe, Lara, tem medo e diz: ‘será marginalizado e o matarão’. No entanto, o pai responde: ‘Será um Deus para eles”’, assinalou.

Em sua análise, o jornal destacou que os super-heróis estão caracterizados por uma dupla natureza – humana e divina – com poderes que parecem versões opostas ao cotidiano dos personagens da antiguidade, mas com características diferentes.

“Enquanto os primeiros personagens eram viciosos, mentirosos e dedicados a satisfazer suas próprias paixões, os de agora combatem as injustiças do mundo, a prepotência dos poderosos e intervêm para restabelecer uma ordem momentaneamente perdida”, completou o diretor.

Embora tenha destacado que a maior parte dos super-heróis são cristãos, o jornal do Vaticano lembra que o protestantismo é a religião mais popular nos EUA, uma linha que é seguida, entre outros, pelo Homem Aranha, “um protestante convencido”, e pelo Capitão América, “que encarna os ideais mais alto da América e que admite ir todos os domingos à função religiosa da comunidade”.

Neste aspecto, o jornal ressaltou que o Ciclope, dos X-Men, e Wolverine, um presbiteriano escocês, são alguns “dos 30 personagens entre os mais religiosos da Marvel”, que, de acordo com o jornal, oi fundada em 1939 pelo judeu Martin Goodman.

Entre os episcopalianos, o jornal destaca a figura da Mulher Invisível e do Batman, enquanto Selina Kyle, a Mulher Gato, seria católica. De acordo com o jornal vaticano, embora não seja muito devota, ela tem uma irmã que é freira.

Após essa viagem pelo mundo da história em quadrinhos, o jornal vaticano precisou que, independente da religião, o mundo de hoje necessita de “heróis positivos, impávidos e justos, que saibam se posicionar na eterna luta entre o bem e o mal. Se por trás disso houver motivações religiosas, muito melhor”, concluiu.

fonte – http://g1.globo.com

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , , , , , | Deixar um comentário

Achado em parede, gibi de 1938 do Superman é vendido por US$ 175 mil

Atualizado com a finalização do leilão -

Mestre de obras encontrou revista em casa comprada por US$ 10 mil.
Rasgo na capa reduziu em pelo menos US$ 50 mil valor do item.

* Primeira edição da Action Comics, revista que contém a estreia de Superman

Uma revista rara achada dentro de uma parede, contendo a estreia do personagem Superman em 1938, foi vendida por US$ 175 mil em um leilão, afirmou a loja especializada Comicconnect.com nesta quarta-feira (12).

A identidade do comprador não foi divulgada. Estima-se que restem menos de 100 exemplares do número 1 da revista “Action comics”, de uma tiragem original de 250 mil. A Comicconnect esperava arrecadar cerca de US$ 100 mil no leilão, que terminou na terça-feira.

O vendedor foi o mestre de obras David Gonzalez, que descobriu a revista entre jornais usados como isolamento de uma parede durante uma reforma que fez numa casa em Hoffman, Minnesota, nos Estados Unidos.

O executivo-chefe da loja virtual, Stephen Fishler, disse que Gonzalez comprou a casa de 1938, que estava vazia, por US$ 10,1 mil.

A condição geral da revista foi qualificada em 1,5 num máximo de 10 porque a contracapa foi acidentalmente rasgada logo depois de ela ser encontrada. “Conservadoramente é um rasgo de US$ 50 mil, mas provavelmente mais”, disse Fishler.

Uma “Action comics nº. 1″ em estado 9,5 foi vendida em 2011 por US$ 2,16 milhões.

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , , , , , , , | Deixar um comentário

Vendas de filme e HQ ” V de vingança ” crescem na web após protestos

‘Máscara de Guy Fawkes’ usada na história é vista em protestos no Brasil.
HQ vende 10 vezes mais em loja de SP; filme volta a listas de ‘mais vistos’.

À esquerda, capa da edição brasileira do quadrinho ‘V de vingança’, e, à direita, cartaz original da adaptação para o cinema de 2005 (Foto: Divulgação)

As vendas da história em quadrinhos “V de vingança”, de 1988, e do filme de mesmo nome, de 2005, aumentaram em lojas na internet após o início dos protestos no Brasil. A máscara usada pelo personagem revolucionário V é usada em manifestações pelo país e também virou fenômeno de vendas.

Na loja de HQ Comix, as encomendas pela web aumentaram de cerca de dez unidades por semana, antes dos protestos, para 100 na última semana. Nos serviços de streaming de filmes Netflix e no iTunes, “V de vingança” está entre os filmes mais populares entre os usuários nos últimos dias. O DVD do filme era o 6º mais vendido na loja Submarino na terça-feira (25), no meio de lançamentos e boxes especiais.

Na história escrita nos anos 80 por Alan Moore, com desenhos de David Lloyd, um governo totalitário no Reino Unido é combatido pelo oposicionista mascarado V. A trama foi adaptada para o cinema em 2005, com roteiro dos irmãos Wachowski, de “Matrix”, e Natalie Portman e Hugo Weaving no elenco.

A máscara do personagem V é inspirada em Guy Fawkes, oposicionista inglês condenado à morte por traição em 1605. Ele comandou a chamada Conspiração da Pólvora, que queria explodir o parlamento em discurso do rei James I. Popularizada pelo filme, a máscara também se tomou símbolo do grupo de hackers ativistas Anonymous e passou a aparecer em várias manifestações pelo mundo.

“Neste fim de semana as vendas pela internet foram lá em cima”, diz ao G1 Jorge Rodrigues, de 40 anos, diretor comercial da Comix. “Vendíamos cerca de dez quadrinhos de ‘V de vingança’ por semana antes dos protestos. Durante a semana passada vendemos 50, e mais 50 no sábado e domingo, devido a toda essa ‘revolução’”.

“Temos cerca de 500 exemplares em estoque. Se continuar nesse ritmo, vai faltar, vamos ter que encomendar mais”, prevê Jorge. Ele diz que o quadrinho, que custa R$ 24,90, tem destaque na vitrine da loja física, no centro de SP. “Não está na parte de lançamentos, mas fica bem ‘visual’”.

No Netflix, serviço que funciona por assinatura que dá acesso ao catálogo de filmes, “V de vingança” está na lista de “mais populares” desde o dia 17 de junho, quando houve fortes manifestações pelo país. No iTunes, que oferece aluguel de filmes por streaming, o longa era o 17º mais visto da terça-feira (25) – todos os filmes à frente dele eram lançamentos ou títulos mais recentes.

A editora Panini, que tem os direitos de publicação da HQ no Brasil desde 2009, e a Warner Home vídeo, que distribui o filme no país, disseram que ainda não chegou a aumentar o volume de encomendas dos produtos pelos lojistas.

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Nicolas Cage vende primeiro gibi do Super-Homem por R$ 3,9 milhões

Curiosidades – 01/12/2011

Um exemplar original da primeira edição da revista em quadrinhos do Super-Homem foi vendida por cerca de R$ 3,9 milhões, nesta quarta-feira. Um recorde. O gibi está em ótima condição, e foi lançado em 1938. Na época valia apenas alguns centavos.

Segundo reportagem do jornal “The Sun”, o vendedor do exemplar foi o ator Nicolas Cage. Ele comprou a revista em 1997, por R$ 270 mil. Em 2000, a revista foi roubada da casa do ator, com exemplares de colecionador de outros super-heróis. O gibi foi recuperado em abril deste ano, na Califórnia. Como já tinha recebido o dinheiro do seguro, Cageteve que desembolsar uma quantia em dinheiro para ter o exemplar de volta.

Nicolas Cage é um fã assumido do Super-Homem. Tanto que batizou o filho de Kal-El, nome de nascimento do Homem de Aço. O ator teria vendido a revista para resolver problemas financeiros. Há dois anos, ele acusou o ex-empresário, Samuel Levine, fazer maus investimentos com a fortuna.

Leia mais: http://extra.globo.com/tv-e-lazer/nicolas-cage-vende-primeiro-gibi-do-super-homem-por-39-milhoes-3363276.html#ixzz2UH0BbM66

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , , , , | Deixar um comentário

Americano encontra valiosa primeira edição de quadrinhos do Super-Homem dentro de parede

Durante os anos em que trabalhou com demolição e reforma de casa, nos Estados Unidos, David Gonzalez sempre sonhou em encontrar alguma coisa valiosa ou curiosa escondida nas paredes que derruba. Até que encontrou, em meio a jornais velhos que isolavam a parede de uma casa que comprou em Elbow Lake, em Minnesota, por cerca de R$ 20 mil, uma primeira edição da revista em quadrinhos da Action Comics. O super-herói lançado naquela edição de junho de 1938 se tornaria um dos mais populares do mudo: o Super-Homem.

Gonzalez publicou o achado em um site especializado, o Comic Connect, e está leiloando a revista. Até agora, foram 34 lances, que já atingiram incríveis 127.000 dólares (pouco mais de R$ 250.000). O leilão termina em 18 dias, o que significa que esse valor ainda deve subir bastante.

- Eu sabia que valia algum dinheiro. Mas não tinha ideia de que seria tanto – admitiu Gonzalez, de 34 anos.

Segundo o site local Star Tribune, a revista valeria ainda mais, se não fosse a empolgação da família de Gonzalez. Agitada pela descoberta, a tia da mulher do americano arrancou a revista das mãos dele, e acabou rasgando a contracapa.

O descuido derrubou a avaliação dos especialistas. Em uma escola de 10 pontos, a revista foi para 1,5 por causa do defeito. Para se ter uma ideia, recentemente uma edição avaliada em 9 pontos na escala foi vendida por mais de 2 milhões de dólares recentemente.

Em geral, a revista não está tão bem conservada, mas é original. Uma das coisas que mais empolgaram os colecionadores de quadrinhos é que a edição de Gonzalez nunca foi leiloada. Todas as primeiras edições da Action Comics encontradas até então estavam documentadas, e a revista de Gonzalez não estava na lista. Tudo indica que ela só teve um dono.

- É milagroso que tenha sobrevivido e que só teve um dono durante todo esse tempo – disse ele.

De qualquer maneira, o americano não culpa a tia da mulher pelo dinheiro que vai perder na venda da revista.

- Eu sou um cara humilde e trabalhador, então nem fiquei tão empolgado quando encontrei isso com os jornais velhos dentro das paredes – disse ele, que tem quatro filhos. – Dinheiro não compra sua felicidade.

Os parentes de Gonzalez não pensam da mesma maneira:

- Eles ficaram super empolgados e tentaram levar a revistinha – contou.

A revista que David Gonzalez encontrou em meio a jornais velhos vale mais do que a casa que ele comprou para reformar em Elbow Lake. Ainda de acordo com a publicação, ele pagou 10.100 dólares pela construção, e planejava demoli-la para construir um estacionamento.

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/mundo/americano-encontra-valiosa-primeira-edicao-de-quadrinhos-do-super-homem-dentro-de-parede-8487191.html#ixzz2UGwxpR80

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , , , , | Deixar um comentário